Print Friendly

Durante esse tempo que fiquei ausente do Blog dediquei grande parte dele a ajudar nos cuidados com a minha neta Flora. Com a Piccola Villa funcionando aqui na minha casa era comum ela chegar aqui por volta das 10 horas da manhã e ir embora com os pais depois da meia noite, quando o restaurante fechava. Ela mamou unicamente no peito até os 6 meses e após esse período comecei a fazer a introdução alimentar dela, já que quando estava com a mãe só queria peito.

Não segui método algum (se você procurar na internet vai encontrar dezenas de métodos)…segui a minha intuição, revendo onde eu tinha errado quando fiz a introdução dos meus filhos. E posso afirmar que uma introdução alimentar bem feita depende de 3 fatores: paciência, dedicação e persistência. Paciência…porque é um tal de “coloca pra dentro” e “coloca pra fora”, aquela batalha para que o bebê consiga comer uma colher de papinha, rezando para que ele se adapte a novos sabores. Dar as primeiras refeições a um bebê requer no mínimo uns 40 minutos e é aí que muitos pais desistem (é aí que temos que ter a tal da “persistência) e oferecem leite (afirmo isso, porque aconteceu comigo. Cheguei a cortar o bico da mamadeira e deixar um buraco enorme, para que conseguisse tomar a sopinha). e Dedicação…porque é trabalho de formiguinha, que tem que ser feito todos os dias.

Na época que fiz a introdução alimentar da Florinha, muita gente me pedia pra disponibilizar as receitas aqui, mas eu não tinha tempo e acabava postando apenas no instagram. Vou deixar aqui para vocês um resumo de tudo que fiz durante esse tempo, que durou exatos 6 meses, pois com 1 ano ela comia o almoço da família.

Com 6 meses: fazia uma sopinha com uma proteína (alternando carne, peixe e frango) e dois legumes. Temperava com as mais diversas ervas fresca: alecrim, tomilho, manjericão, sálvia, salsinha, coentro, cebolinha e também cebola e tomate…não usava sal. Batia tudo no liquidificador, pra ficar bem lisinha e oferecia aos pouquinhos para ela se acostumar com os novos sabores. Sempre cozinhava um legume inteiro (batata, cenoura, beterraba, chuchu) e dava pra ela segurar e brincar, para sentir o sabor.

Quando nasceram os dois primeiros dentinhos, comecei a colocar uma textura, passava os legumes no mix (já não era mais uma sopa e sim um purê) e a proteína eu colocava no liquidificador ligado e ela era triturada bem fininha. Então misturava com o purê e oferecia a ela. Com essa leve textura ela já começava a ensaiar os primeiros movimentos da mastigação. Nesse tempo introduzi também algumas gotinhas de azeite (inclusive o trufado). A polenta com carninha e azeite trufado se tornou um dos pratinhos preferidos dela.

A medida que nasciam mais dentinhos, novas texturas e sabores iam sendo oferecidos a ela. Paralelo a isso, oferecia também as mais diversas frutas como sobremesa ou lanche, desde a banana, passando pelo mamão, melão, morango, kiwii, até as mais diferentes, como pitaya, rabutan e cerejas. Durante o período da IA, não oferecíamos suco a ela (nem nas refeições e nem no lanche), apenas frutas frescas. Com quatro dentinhos, comecei a oferecer grãos. A quinoa refogada com cenoura ou beterraba ralada ou ainda espinafre bem picadinho estava presente pelo menos duas vezes na semana. No jantar, sempre uma sopinha (lentilha, legumes em cubinhos, canja de galinha, feijão com macarrão, grão de bico).

Quem me acompanha no instagram viu de perto todo esse processo e com exatos 1 ano de idade a Flora passou a se alimentar com a comida que era feita para a família. Hoje, com 1 ano e 8 meses, ela come tudo…brinco que ela vai do “lixo ao luxo”, rapidinho. Esclarecendo…ela vai da comida mais simples às mais sofisticadas (tipo, polenta trufada com ragu de cordeiro ou risoto de espinafre com crocante de parma, por exemplo. Quando ela está comigo, procuro dar a alimentação mais saudável possível, incluindo muita salada nos almoços.

Deixo como indicação para todas as mamães que estão nessa fase de IA ou para aquelas que querem melhorar a alimentação da família, os livrinhos do Comidinhas de Diana e também o  livro “Comida de Bebê” da Rita Lobo (tem uma parte teórica excelente). Esses livros vão ajudar bastante nessa fase importante da vida da criança. Por isso a receita de hoje que vou compartilhar com vocês é um Waffle de Pão de Queijo com Chia, do livrinho da Diana. Aproveitei que Florinha dormiu aqui e preparei rapidinho para o café da manhã. Ela adorou.

 

IMG_7604

 

WAFFLE DE PÃO DE QUEIJO COM CHIA

Ingredientes

1 xícara de leite

1/2 xícara de manteiga

1 xícara + 1/3 de polvilho doce

1 colher de chá de sal

2 ovos

1/2 xícara de queijo minas ralado (usei o padrão mas pode ser o frescal)

2 colheres de sopa de Maizena (você pode substituir por fécula de batata)

1 colher de sopa de chia

Modo de preparo

Ferva o leite com a manteiga…

IMG_7589

Numa tigela coloque o polvilho, junte o sal e misture…

IMG_7590

Coloque o leite fervendo e escalde o polvilho…

IMG_7591

Mexendo bem…

IMG_7592

Até que esteja todo incorporado ao leite…

IMG_7593

Deixe esfriar um pouco e junte os ovos, um a um, misturando bem…

IMG_7595

Agora junte o queijo minas…

IMG_7597

A Maizena…

IMG_7598

A chia…

IMG_7599

Misture tudo muito bem, usando um fuet até que a massa fique assim…

IMG_7713

Aqueça a máquina de waffle, pincele óleo e distribua duas colheres grandes (daquela que colocamos na mesa para servir arroz) de massa…

IMG_7601

E deixe assar até ficar dourado…

IMG_7602

Retire e sirva a gosto. No de Florinha, passei um tiquinho de geléia de goiaba e ela amou…

IMG_7608 (2)

Gente, isso é bom demais! Façam…as crianças vão adorar!

A receita rendeu 6 waffles. O que sobrar, você coloca num saquinho e congelar, depois é só esquentar no forno ou na torradeira…

IMG_7604

Beijinhos e até a próxima!